Connect with us

Saúde Agora

Com 32 casos confirmados neste ano, cidade de SP tem surtos de sarampo

Com 32 casos confirmados neste ano, cidade de SP tem surtos de sarampo 1

Com mais 147 suspeitas sob investigação, capital iniciou na semana passada campanha de vacinação entre jovens; antes de 2019, Prefeitura ficou quase quatro anos sem registrar infecções. Outros seis municípios paulistas também reportam ocorrências.

Com 32 casos confirmados de sarampo somente neste ano, a cidade de São Paulo já registra surtos da doença e circulação do vírus em seu território. A informação foi confirmada nesta segunda-feira, 17, ao Estado pelas Secretarias Estadual e Municipal da Saúde. Antes de 2019, a capital estava havia quase quatro anos sem registrar infecção pela doença.

ctv-hvf-sarampo

Primeira semana de campanha de imunização entre jovens teve adesão de só 0,2% Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA

O alerta nas Vigilâncias Sanitárias do Estado e do Município aumentou nas últimas duas semanas, quando o número de casos confirmados saltou de 14 para 32. Do total, oito são importados (cuja infecção ocorreu fora de São Paulo) e os demais estão sendo investigados para que a secretaria possa determinar se a contaminação ocorreu internamente.

Há ainda 147 casos suspeitos notificados, entre eles o de um aluno de uma escola infantil da Pompeia, na zona oeste. Com o registro, a Prefeitura decidiu realizar uma vacinação geral de alunos e funcionários do colégio nesta semana, inclusive de bebês menores de 1 ano, faixa etária em que o imunizante geralmente não é recomendado. Por causa de um possível contato com a criança doente, os bebês a partir de 6 meses que frequentam a escola também serão imunizados.

“Embora a vacina seja indicada aos 12 meses e 15 meses (primeira e segunda doses), ela pode ser aplicada a partir dos 6 meses sem nenhum risco. É segura”, explicou Solange Maria de Sabóia e Silva, coordenadora da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) da secretaria municipal.

Alerta

A notícia do caso suspeito causou preocupação na escola, principalmente entre pais de alunos menores de 1 ano, ainda não imunizados. “Meu filho acabou de completar 1 ano e tinha tomado a vacina na semana passada, mas são necessários dez dias para a vacina começar a proteger. Se o caso suspeito for confirmado como sarampo, há um risco de ele ter sido contaminado porque a doença é altamente contagiosa e as crianças convivem no mesmo ambiente. Estamos com muito medo”, diz o engenheiro Alexandre Ganeu, de 41 anos.

Para tentar impedir um surto de grandes proporções na cidade, a Prefeitura iniciou na semana passada uma vacinação para jovens de 15 a 29 anos, mas a adesão, após uma semana de campanha, é muito baixa: apenas 0,2% do público esperado compareceu aos postos (Confira aqui a lista completa de unidades onde a vacina é oferecida).

“As pessoas têm de levar a sério a recomendação de vacinação. O vírus está circulando na cidade e a única forma de prevenção é a vacina”, afirmou Solange. Ela ressaltou que, para quem trabalha de segunda a sexta em horário comercial, há 80 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) integradas com AMAs que abrem aos sábados.

De acordo com a secretaria municipal, há registro de casos confirmados de sarampo de moradores de todas as regiões da cidade. De 32 registros, 13 ocorreram na coordenadoria de saúde da zona norte, 7 na do centro, 6 na da região sudeste, 5 na área da coordenadoria oeste e um na da região leste.

Dentre os casos, há surtos confirmados em Higienópolis (região central) e em uma universidade da zona leste.

Ampliação

A diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado, Regiane de Paula, informou que, além da capital, outras seis cidades têm casos confirmados da doença: Santos (21 casos), Santo André (6), Guarulhos (4), Osasco (1), Jales (1) e Sorocaba (1), em um total de 66 casos. Nenhuma morte foi registrada. “Com esse cenário, estamos estudando ampliar a campanha de vacinação dos adolescentes e jovens também para Santo André e Guarulhos.”

Outra preocupação da secretaria é de que a chegada de turistas por causa da Copa América piore o cenário de circulação do vírus. Isso porque, somente na Europa, 100 mil casos e 90 mortes por sarampo foram registrados entre 2018 e 2019, conforme a Organização Mundial da Saúde. “Sabemos que há turistas de 98 nacionalidades diferentes que compraram ingressos para os jogos e estamos com núcleos de monitoramento de possíveis casos. Também promovemos vacinação de funcionários dos estádios e dos centros de treinamento”, informou Regiane.

Veja perguntas e respostas sobre o sarampo

Quais os sintomas da doença?

Os sintomas do sarampo são febre alta, acima de 38,5°C; exantema (erupções cutâneas vermelhas); tosse; coriza; conjuntivite e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal de 1 a 2 dias antes do aparecimento do exantema.

O sarampo pode matar?

Sim. Complicações infecciosas decorrentes do sarampo podem levar à morte, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

Qual a forma de prevenção?

Como é uma doença extremamente contagiosa, a única forma de se prevenir é com a vacinação, que deve ser aplicada em duas doses: uma aos 12 meses e a outra, aos 15 meses.

Quem deve se vacinar?

A primeira dose deve ser dada a crianças de 12 meses de idade. Já a segunda, a crianças de 15 meses (1 ano e 3 meses). Gestantes, crianças com menos de 6 meses e imunocomprometidos não devem receber a dose. A gestante deve esperar para ser vacinada após o parto.

Adultos estão livres da doença?

Não. E adultos na faixa de 30 anos devem, especialmente, ficar atentos. Isso porque, no passado, a vacinação era feita aos 9 meses e em apenas uma dose. Portanto, eles devem procurar o serviço de saúde para atualizar a caderneta de vacinação.

Fonte:  saude.estadao.com.br

Continue Reading
Click para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Advertisement
Advertisement
Advertisement

Veja Também

Copyright © 2018 Dr.Saúde Seu mais novo canal da saúde. Desenvolvido por ag2one.com